back index CÂMARA MUNICIPAL
CURITIBA

Curitiba, 22 de maio de 2019
 
Sim Não
controle de spam, digite o código no campo acima
Email Versão para impressão

Data: 06/02/2019 - 13:41:31

Notas da sessão plenária
de 6 de fevereiro

  • “Está virando uma banalidade termos mulheres assassinadas simplesmente por serem mulheres”, disse Maria Leticia Fagundes, em relação ao crescimento das taxas de feminicídio. (Foto: Rodrigo Fonseca/CMC)
  • Noemia Rocha defendeu maior participação das mulheres na política. (Foto: Rodrigo Fonseca/CMC)
  • O vereador recém-empossado Herivelto Oliveira (PPS) agradeceu às “5.368 pessoas que me colocaram neste plenário”. (Foto: Rodrigo Fonseca/CMC)
  • “Não posso deixar de exaltar a eleição do nosso presidente Sabino Picolo (DEM) e desejar aos vereadores uma profícua legislatura”, destacou Julieta Reis. (Foto: Rodrigo Fonseca/CMC)
  • Marcos Vieira repercutiu reclamações dos moradores da Regional Bairro Novo em relação à falta de médicos nas unidades de saúde do distrito sanitário local. (Foto: Rodrigo Fonseca/CMC)
  • Para Tico Kuzma, “os projetos [do Pacote Anticrime] vão adequar a legislação à realidade atual”. (Foto: Rodrigo Fonseca/CMC)
  • Maria Manfron convidou os vereadores a participarem da 61ª Festa da Uva em Santa Felicidade. (Foto: Rodrigo Fonseca/CMC)
  • Toninho da Farmácia agradeceu às secretarias de Obras e Meio Ambiente pela construção de um campo de futebol de grama na Cidade Industrial de Curitiba. (Foto: Rodrigo Fonseca/CMC)
Feminicídio I
No grande expediente de hoje, Maria Leticia Fagundes (PV) manifestou preocupação quanto ao crescimento do feminicídio no Brasil. Segundo ela, todos os dias, quatro mulheres são assassinadas no país. "Temos a 5ª maior taxa de feminicídio entre 84 nações pesquisadas, apesar da Lei Maria da Penha. Está virando uma banalidade termos mulheres assassinadas simplesmente por serem mulheres”, lamentou, ao defender o aprimoramento da rede de combate à violência contra a mulher. “[Essa rede] não se restringe em atender a mulher e mandá-la de volta para casa.” (Foto 1)

Feminicídio II
A vereadora informou que, somente no Paraná, foram abertos 168 inquéritos policiais relacionados ao feminicídio em 2018. “Precisamos pensar nisso. A violência está aí fora, ao nosso redor”, complementou. Ela ainda se solidarizou com a deputada estadual de Santa Catarina, Ana Paula Silva (PDT), que sofreu ataques na internet e foi alvo de comentários considerados machistas pela vereadora, em relação à roupa usada pela parlamentar na sua posse na Assembleia Legislativa catarinense. “O feminismo não mata, o machismo mata”, disparou, ao receber apoio dos vereadores Bruno Pessuti (PSD) e Colpani (PSB), que criticaram o fato de que o currículo da deputada deveria ter sido destaque pelos comunicadores, ao invés dos trajes.

Mulheres na política
Noemia Rocha afirmou que as mulheres têm avançado na política, “mas na minha leitura, muito devagar. A gente precisa mudar esse quadro. Gostaria de pedir aos vereadores que incentivassem a candidatura das mulheres em seus partidos. A Arábia Saudita ganha de nós brasileiras. A mulher precisa investir na mulher, os partidos precisam investir nas mulheres para que elas não sejam usadas só para cumprir os 30% de cota”. A parlamentar ressaltou a necessidade de criar leis e políticas públicas para proteger as mulheres. (Foto 2)

Novo vereador
O vereador recém-empossado Herivelto Oliveira (PPS) agradeceu às “5.368 pessoas que me colocaram neste plenário. Fiz campanha basicamente pela internet e visitando alguns bairros de Curitiba, a pedido de algumas pessoas que entraram em contato comigo pelas redes sociais. “Fui o 27º candidato mais votado”, emendou. Ele disse estar preocupado com os moradores de rua. “Quero trabalhar para que consigamos diminuir essa realidade.” Outros assuntos que pretende discutir são as pichações, “um crime que deve ser combatido”, e a cobrança de estacionamento no Museu Oscar Niemeyer, cujo serviço criticou e achou “absurdo pagar R$ 10 por hora”. (Foto 3)

Boas-vindas

“Não posso deixar de exaltar a eleição do nosso presidente Sabino Picolo (DEM) e desejar aos vereadores uma profícua legislatura, para que possamos cada vez mais trabalhar pelo bem de nossa cidade”, destacou Julieta Reis (DEM). Lembrou ainda de projetos como a construção de um novo prédio para a Câmara de Vereadores e as reformas que estão ocorrendo no atual espaço. Falou sobre a conservação do Palácio Rio Branco e seu entorno. “A porta de entrada da cidade para os imigrantes ocorreu por aqui, com a estação de trem, os hotéis, a praça Eufrásio Correia com a fonte encomendada da França pelo prefeito Cândido de Abreu”, lembrou. (Foto 4)

UPA Pinheirinho I
Noemia Rocha (MDB) desejou um “biênio com perspectiva de reeleição aos 38 vereadores” e agradeceu ter sido escolhida para a terceira secretaria da Casa. Também desejou boas-vindas aos novos vereadores Herivelto Oliveira (PPS) e Jonny Stica (PDT). Em seguida afirmou estar preocupada com o discurso do prefeito na abertura dos trabalhos da Câmara nesta segunda-feira (4). Para ela, Rafael Greca teria falado sobre a retomada da Upa Pinheirinho como OS. “A OS é sim mecanismo de grandes corrupções, não digo que está acontecendo isso em Curitiba, mas registro a minha preocupação”, disse. Segundo Noemia, houve uma promessa do Executivo de que a retomada seria com servidores do município.

UPA Pinheirinho II
A informação foi rebatida durante o grande expediente, pela vereadora Maria Leticia Fagundes (PV), que afirmou que a UPA não será administrada por OS. “OS não está planejada para a Upa Pinheirinho. É importante que a senhora não crie fake news.” Posteriormente, Noemia Rocha esclareceu que foi levada ao erro por conta do próprio site da prefeitura. “A fake news veio da prefeitura, pois foi colocado no site da prefeitura, não dei a informação incorreta”. Segundo Noemia, foi anunciado em uma matéria publicada no endereço eletrônico do Executivo, “mas foi mudada, estava no site e tenho [uma foto do texto publicado inicialmente] aqui para comprovar, temos que pensar nas fake news da comunicação da prefeitura”.

Falta de médicos
Líder da bancada do PDT no Legislativo, Marcos Vieira repercutiu reclamações dos moradores da Regional Bairro Novo em relação à falta de médicos nas unidades de saúde do distrito sanitário local. Segundo o vereador, tem unidade de saúde que atende 24 mil moradores cadastrados “sem nenhum médico”. “A população está sendo mandada de volta para casa porque não tem atendimento”. Ele pediu que a Prefeitura de Curitiba tome providências em relação à situação. “Um dos bairros mais populosos da cidade não está sendo atendido devido à falta de médicos”, reiterou.  Nenhum vereador da base de apoio ao prefeito se manifestou sobre a demanda em plenário. (Foto 5)

Pacote anticrime
Tico Kuzma (Pros) elogiou o lançamento do chamado “Pacote Anticrime” feito pelo ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sérgio Moro, na segunda-feira (4). Para o parlamentar, “os projetos vão adequar a legislação à realidade atual”, na qual a população brasileira demanda por melhorias na segurança pública. O governo federal propõe mudanças em 19 áreas, endurece o cumprimento de penas de condenados em segunda instância e faz alterações no Código Penal relativas à legítima defesa. (Foto 6)

Festa a Uva
Maria Manfron (PP) lembrou que neste final de semana será realizada a 61ª Festa da Uva em Santa Felicidade,“com bastante polenta, risoto, uvas, geleias e a participação de muitos voluntários que lá se dedicam para que ocorra a festa. Santa Felicidade está em festa e toda Curitiba também”. O evento inicia nesta sexta-feira (8) às 18 horas e termina no domingo, também às 18h. (Foto 7)

Campo de futebol

Toninho da Farmácia agradeceu “aos amigos da Secretaria do Meio Ambiente e da Secretaria de Obras que estão executando uma obra que há bastante tempo estamos trabalhando para que aconteça”. Ele se referiu à construção de um campo de futebol de grama na rua Romeu Bacellar, na Cidade Industrial de Curitiba. Para ele, as conquistas ocorrem “conversando, com diálogo com o executivo” (Foto 8).

Retirada
A nova Comissão Executiva da Câmara Municipal de Curitiba (CMC) – formada pelos vereadores Sabino Picolo (DEM), presidente, por Colpani (PSB) e Professor Euler (PSD), respectivamente primeiro e segundo secretários – pediu a retirada de dois projetos de lei da Comissão Executiva do biênio 2017/2018 (072.00002.2019). Tratam-se das propostas que extinguiam 38 cargos da estrutura administrativa do Legislativo (005.00165.2018) e além do cargo de assessor de informática da Controladoria da Casa (005.00166.2018). No ano passado, o plenário chegou a debater o regime de urgência das iniciativas, que não foi aprovado. “Se faz necessária a retirada de tais projetos, pois os mesmos não se adéquam as propostas da atual Comissão Executiva”, diz a justificativa do requerimento.


Texto:   Michelle Stival da Rocha e Pedritta Marihá Garcia
Revisão:   Filipi Oliveira
 
Reprodução do texto autorizada mediante citação da Câmara Municipal de Curitiba.


Arquivos para download:

Voltar
 

Este legislativo municipal oferece através de seu site uma visão geral dos trabalhos realizados em prol da cidade de Curitiba. Acompanhe nesta ferramenta o trabalho dos vereadores, a execução do orçamento, e tenha acesso a diversas informações institucionais e de funcionamento. Nosso objetivo maior é o de dar transparência aos trabalhos aqui realizados. Lembramos que este site está em constante atualização e melhoria. Sua visita frequente é muito importante.

© 1997 - 2019 - Câmara Municipal de Curitiba - todos os direitos reservados

Câmara Municipal de Curitiba - Rua Barão do Rio Branco, 720 - Curitiba - Paraná - Brasil - CEP: 80010-902
Fone: (41) 3350-4500 - Fax: (41) 3350-4737 - Email geral:
camara@cmc.pr.gov.br

Esse site pode ser melhor visualizado nos seguintes navegadores: Firefox 29, IE 11, Chrome 35 ou versões superiores.